Sorriso FM 99,1

Coluna

CRÔNICA da Semana "Não Há Palavras"

Campista Cabral


E não há palavras suficientes

quando a palavra dita e discutida

e repartida e refletida é a palavra corrupção!

Sempre corrupção!
Como café requentado ou como pão já passado!
Sempre corrupção!
E não há palavra, por mais bonita que seja, que consiga o poema, porque repisada e falada e televisionada e esmigalhada é a palavra corrupção!
Sempre corrupção!
Como novela repetida ou como a mesma ferida!
Sempre corrupção!
E a palavra corrupção é sempre o não!
Não há carteiras, não há merenda, não há salário, tampouco educação!
Não há trabalho, não há transporte, não há PIB, mas muita inflação!
Não há rua, não há asfalto, não há água, mas bastante sonegação!
Não há futuro, está tudo escuro, não há nem muro, total esculhambação!
Eis o país da miséria ou a miséria de país!
Onde o errado é o certo, vira norma e faz aprendiz!
Onde o povo é feito de palhaço e ainda se sente feliz!
A crônica, escorregadia e frágil,

não consegue se sustentar…
A palavra corrupção está em todo lugar!
E não há saída nem luz no fim do túnel.

Não há parágrafo para encaminhar…
O que nos resta então?
Uma triste história e uma trágica condição:

uma indigna e falida Nação,

construída e destruída pela

Corrupção!



Veja também


Enquete
Em sua opinião, qual o principal desafio dos educadores?
  • Parcial