Agora: Amor Sem Fim

​Fornecimento de gás natural veicular é retomado; combustível rende 50% a mais que o tradicional

Olhar Direto em 25/10/2019 às 15:43. Lida 470 vezes.


O fornecimento de gás natural veícular (GNV) foi retomado na última segunda-feira (21). A informações foi divulgada na noite de terça-feira (22), no auditório da Procuradora Geral do Estado (PGE), durante o encontro com o motoristas de aplicativos realizado pela Companhia Mato-grossense de Gás (MT Gás). O GNV tem um rendimento 50% superior ao combustível líquido e está sendo comercializado na cidade por R$ 2,59 o metro cúbico.

Localizado na Avenida Miguel Sutil, o Posto Santa Elisa foi o primeiro que voltou a oferecer o gás nesta segunda-feira. O valor por metro cúbico é R$ 0,10 mais barato do que no último ano de abastecimento.

“O custo do combustível é fundamental para os motoristas, nós corremos atrás de centavos de economia. Tendo um melhor custo benefício com certeza existe a possibilidade de haver demanda e os motoristas aderirem”, afirma o presidente da Associação dos Motoristas por Aplicativos de Mato Grosso (AMA-MT), Cleber Cardoso, sobre a intenção do setor de utilizar o gás veicular.

Durante o encontro, foi apresentado uma linha específica de financiamento da instalação do conversor do veículo, conhecido como “kit gás”, pela Desenvolve MT, que varia entre R$ 3,5 mil a R$ 5 mil.

A primeira reunião faz parte de uma rodada de conversas que a MT Gás está realizando com todos os potenciais consumidores, que incluem além dos motoristas por aplicativo, taxistas e industriários, conta o presidente da MT Gás, Rafael Reis.

“Estamos apresentando as opções de incentivo e financiamento, preços, vantagens em relação ao custo e, também, nos aproximando para receber sugestões de melhorias. Mostramos que, a partir de agora, há garantia de abastecimento pelo contrato firme que assinamos com a Bolívia”, explica.

Cerca de 4,8 mil pessoas vivem exclusivamente de oferecer o transporte por aplicativos em Cuiabá e Várzea Grande. Já com motoristas que atuam na área para complementar a renda, o número alcança 8 mil profissionais.

Enquete


Você é contra ou a favor do pagamento de salário para presos?
Parciais