​Mendes cobra do governo federal apoio para combater queimadas em Mato Grosso

Circuito MT em 02/09/2019 às 17:11. Lida 373 vezes.


governador Mauro Mendes cobrou do governo federal a liberação de auxílio no combate às queimadas em Mato Grosso, acordado em reunião na semana passada com o presidente Jair Bolsonaro. Em reunião com ministros, nesta segunda-feira (2), em Belém (PA), Mendes pediu agilidade na autorização do Ministério da Defesa à disponibilidade da 13ª Brigada.

“Nós já encaminhamos a ratificação ao pedido e até agora não recebemos a ajuda que foi acordada durante a reunião em Brasília, na semana passada. E ratifico aqui novamente o pedido para que o Exército entre em Mato Grosso nos ajudando no combate às queimadas”.

O governo apresentou as ações que estão em andamento para combate às queimadas, desmatamento ilegal,incluindo a suspensão da autorização de ordem desmatamento pela Sema (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) e na prorrogação do período proibitivo às queimadas, ambas com validade até 30 de novembro.

“Nesse curto período realizamos operações em parcerias com vários órgãos, como o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), que já deram resultados positivos, como a aplicação de mais de R$ 100 milhões em multas, prisão de oito pessoas e apreensão de dezenas de equipamentos”.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, presente na reunião, disse que “já está autorizado ao Comando Militar do Norte localizado na região de Belém, comandado pelo general Paulo Sérgio, a apoiar as operações iniciais ao norte de Mato Grosso”.

Outro pedido feito por Mauro Mendes foi relacionado ao custeio das operações realizadas em Mato Grosso para combater as queimadas.

“Nós precisamos falar objetivamente sobre recursos para o meio ambiente e para as ações realizadas pelos Estados. Temos algum nível de recurso internacional e aquilo que cada Estado tem aportado. Contudo, neste momento o que nos parece mais claro e objetivo são os valores que podem ser disponibilizados via Lava Jato, já que tem uma pré-disposição do Judiciário. Peço que o governo federal entre nesse circuito fazendo um alinhamento rápido e objetivo, para que tenhamos rapidamente esses recursos nos Estados”.

A reunião também contou com a participação dos ministros Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tereza Cristina (Agricultura), Onyx Lorenzoni (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), além dos deputados federais Neri Geller e Juarez Costa, dos representantes do Ibama, Funai e Exército e dos governadores do Amapá, Maranhão, Pará e Tocantins.

Enquete


Você é contra ou a favor do pagamento de salário para presos?
Parciais