​Líderes de facção, Marreta e Petróleo são alvos da operação Assepsia

Fernando Luiz - Depto Jornalismo com RD News em 18/06/2019 às 14:16. Lida 471 vezes.

Apontados como principais líderes do Comando Vermelho (CV) Paulo Cesar da Silva, o Petróleo, e Luciano Mariano da Silva, o Marreta, tiveram a prisão preventiva decretada durante a Operação Assepsia, deflagrada na manhã desta terça (18) pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). Ambos dividiam cela e seriam beneficiados pela entrada ilegal de aparelhos celulares no presídio.

Além deles, também foram parar na cadeia o diretor da Penitenciária Central do Estado (PCE), Revétrio Francisco da Costa, o sub-diretor Reginaldo Alves dos Santos, conhecido como Peixe, e três policiais militares, sendo dois da Rotam - sub-tenente Ricardo e o cabo Denizel -, e o tenente Ferreira, lotado no 3º Batalhão.

Petróleo foi preso em 29 de junho em Sorriso ( a 420 km de Cuiabá) durante a continuidade da Operação Segregare, por ser um dos mandantes de ataques contra três casas de agentes penitenciários e à sede do sindicato da categoria. Na época, a Polícia Civil executou um intenso serviço de monitoramento até prender Petróleo. Investigações apontaram que ele comandava os crimes em Sinop e Lucas do Rio Verde.

Enquete


Você é contra ou a favor de eleições para diretores e coordenadores de escolas públicas municipais?
Parciais