Agora: Bom Dia Sorriso

​Coordenador do PETI de Sorriso participa do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Mato Grosso

Decom em 10/06/2019 às 15:03. Lida 438 vezes.

Coordenador do PETI de Sorriso participa do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Mato Grosso

O coordenador do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI, Francisco Guimarães está em Cuiabá, onde participa do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil em Mato Grosso através do Seminário "Trabalho Infantil - Fortalecimento da Rede de Proteção em Mato Grosso" que traz como tema: "Criança não deve trabalhar, Infância é Pra Sonhar”. O evento acontece no Auditório do Tribunal Regional do Trabalho – MT e encerra amanhã (11).

O fórum conta com a participação de 17 municípios que mantém um serviço ininterrupto na erradicação da exploração do trabalho infantil. Durante o encontro, o coordenador apresentará as ações estratégicas do programa, que acontecem em Sorriso. “Este é um momento importante para todos os municípios que lutam pelo fim da exploração do trabalho infantil”, declarou Francisco.

A secretária de Assistência Social, Jucelia Ferro, lembra que muitas atividades sociais são desenvolvidas para que as crianças e adolescentes se ocupem e tenham novos aprendizados importantes.

“São muitos trabalhos sociais voltados para as nossas crianças e adolescentes, como: serviço de convivência e fortalecimento de vínculos, mundo do trabalho, teatro, dança, flauta doce, recreação, natação e educação física. Todas estas atividades são ofertadas nos CRAS e nos parceiros, como AABB e barracão no Bairro Mário Raiter. Além, de cursos de qualificação profissional oferecidos no SENAI e SENAC, que capacita os adolescentes que buscam o primeiro emprego, através do projeto como o Menor Aprendiz. Tudo isso, para ocupar todo o tempo livre no contra turno escolar de crianças e adolescentes”, explicou Jucelia.

Enquete


Você é contra ou a favor de eleições para diretores e coordenadores de escolas públicas municipais?
Parciais