Sorriso FM 99,1

20/05/2019 15:53
Lida 409 vezes.

Fernando Luiz com assessoria

As exportações de soja e milho para a China seguem tendência de alta, apesar do surto de febre suína africana que atingiu os rebanhos daquele país. Além disso, Vietnã e Indonésia devem se consolidar como importantes importadores de soja e milho brasileiros. Estes são alguns dos resultados e expectativas da missão do Ministério da Agricultura, entidades e empresas ao continente asiático na última semana.

O objetivo da comitiva liderada pela ministra Tereza Cristina foi abrir mercados aos produtos agropecuários brasileiros no continente asiático. Fizeram parte da comitiva diretores da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil) e da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja Mato Grosso).

De olho num mercado consumidor formado por quase 1,8 bilhão de pessoas, o grupo manteve reuniões com empresários e governos locais em Xangai e Pequim (China), e em Hanoi (Vietnã) e Jacarta (Indonésia).

“Tivemos encontros em Xangai, onde ouvimos explicações sobre os impactos da peste suína. Depois estivemos em Pequim discutindo questões ligadas aos defensivos agrícolas. No Vietnã e na Indonésia vimos que há grandes oportunidades para os grãos do Brasil. Essa missão teve forte presença de deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária para conhecer desafios e oportunidades da nossa produção”, afirmou o presidente da Aprosoja Brasil, Bartolomeu Braz Pereira.

“O Ministério está muito empenhado em abrir o mercado asiático para as carnes e grãos do Brasil. A gente fecha esta viagem dizendo que o saldo foi muito positive. Temos muito a ganhar com estas parcerias na Ásia”, salientou o diretor administrativo da Aprosoja MT, Lucas Beber.

A missão contou com a participação do presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado federal Alceu Moreira (RS) e de cerca de 15 membros da FPA, do diretor executivo da Aprosoja Brasil, Fabrício Rosa, além de representantes de entidades como a Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carne (Abiec) e empresários de várias cadeias produtivas do agro brasileiro.

Veja também


Enquete
Qual sua opinião sobre as mudanças do trânsito nas perimetrais em anexo à BR 163?
  • Parcial