Sorriso FM 99,1

07/05/2019 11:35
Lida 939 vezes.

Fernando Luiz com assessoria

Rally da Safra volta a campo para avaliar as condições das lavouras de milho

O Rally da Safra, principal expedição técnica privada sobre a safra de grãos no Brasil, volta a campo a partir da próxima segunda-feira, dia 6 de maio. Agora, os técnicos avaliarão as condições das lavouras do milho segunda safra na região do Médio Norte do Mato Grosso. A expedição, organizada pela Agroconsult, visitará propriedades das regiões de Sinop, Sorriso e Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Campo Novo do Parecis, Sapezal, entre outros, finalizando essa etapa em Cuiabá, no dia 10 de maio. No dia 8 de maio, os técnicos realizam evento gratuito para produtores na Coacen, às 18h.

A estimativa de produção é de 72,3 milhões de toneladas, um recorde para a segunda safra. O volume é 32% acima da temporada passada, quando houve quebra no Paraná e no Sul do Mato Grosso do Sul. Somadas 26,2 milhões de toneladas da primeira safra, a produção brasileira de milho deverá chegar a 98,5 milhões de toneladas, ante 81 milhões de toneladas no período anterior. A estimativa de área plantada é de 12,3 milhões hectares, um crescimento de 7% sobre o ciclo 17/18.

Segundo André Debastiani, coordenador do Rally da Safra e sócio analista da Agroconsult, o plantio do milho safrinha foi o mais antecipado dos últimos anos. Nos principais estados produtores – MT, GO, MS e PR – praticamente todas as lavouras foram semeadas até o fim de fevereiro, num calendário considerado ideal ou de baixo risco climático.

“O excelente calendário sustenta boas expectativas para a safrinha. Nas principais regiões produtoras as lavouras estão em excelentes condições”, afirma Debastiani. Até o momento, o clima mostrou-se muito favorável na maior parte das principais regiões produtoras. A chuva foi um pouco mais irregular em algumas áreas do Paraná e do Sul do Mato Grosso do Sul em abril.

No evento em Sorriso, o produtor terá informações sobre o mercado de grãos e as perspectivas para 2019. “Será um momento de debate, construção de conhecimento e de retribuirmos aos produtores todos os dados coletados em campo, além de uma oportunidade de reuni-los para troca de informações e interação com os técnicos das empresas patrocinadoras”, explica Debastiani.

Além das avaliações em campo, a expedição somará dez eventos regionais e encontros com produtores para debater as condições da safra brasileira. A expedição estima percorrer mais de 100 mil quilômetros neste ano.

Veja também


Enquete
O que você pensa sobre o aumento de R$ 42 no salário mínimo previsto pelo Governo Federal para 2020?
  • Parcial