Sorriso FM 99,1

30/01/2019 06:40
Lida 1075 vezes.

G1/MT

Uma mineradora e um reservatório destinado à piscicultura na região de Poconé, a 104 km de Cuiabá, foram autuados, nesta terça-feira (29), por atuar em desacordo com a licença de operação e por lançar resíduos sólidos em curso de córrego. Dessa forma, a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) descarta a possibilidade de que o material despejado no Rio Bento Gomes seja oriundo de barragens, como havia sido afirmado anteriormente.

Ainda segundo a Sema, durante fiscalização realizada em solo e por meio de sobrevoos, foi possível perceber que havia pontos de lançamento de efluente no córrego Areão. A apuração dos fiscais identificou que o córrego Areão é uma drenagem intermitente que deságua no Córrego Santana e que, por sua vez, deságua no rio Bento Gomes.

Apesar de não haver indícios de rompimento nos taludes dos empreendimentos, eles foram autuados e devem ser responsabilizados por despejar os resíduos no curso do rio.

Sobrevoo confirma que resíduos não são oriundos de barragens — Foto: Sema/AssessoriaSobrevoo confirma que resíduos não são oriundos de barragens — Foto: Sema/Assessoria

Sobrevoo confirma que resíduos não são oriundos de barragens — Foto: Sema/Assessoria

Os fiscais fizeram coleta de amostras da água nos pontos de captação para abastecimento público que ficam próximos aos empreendimentos. Essas amostras serão encaminhadas para análises que vão apontar a qualidade da água nesses locais.

As análises também vão identificar o grau de contribuição de cada um dos empreendimentos para o dano causado ao rio e, consequentemente, ao abastecimento do município de Poconé.


Os resultados preliminares dos testes laboratoriais devem ser disponibilizados em dois dias.

Veja também


Enquete
Qual sua opinião sobre a conduta do atual ministro Sergio Moro, quando juiz que conduziu a operação Lava Jato, após vazamentos de supostas conversas entre Moro e a acusação?
  • Parcial