Sorriso FM 99,1

24/01/2019 14:20
Lida 480 vezes.

Decom


A Secretaria Municipal da Saúde e Saneamento, através da Vigilância Epidemiológica lançou na última segunda-feira (21), a Campanha Janeiro Roxo em alusão a Campanha Nacional de Combate a Hanseníase, que é comemorado no último domingo do mês de janeiro.

O dia “D” será no sábado (26), com avaliação médica das pessoas que já estão no sistema de regulação, as consultas serão realizadas no Ambulatório Multiprofissional Especializado (AME). O objetivo da campanha é chamar a atenção da sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce da doença.

“Queremos através desta campanha alertar a população sobre os sinais e sintomas da hanseníase e orientar a procurar o atendimento na rede pública, pois temos uma médica especialista em hanseníase para tratar e acompanhar esses pacientes. E também vamos intensificar o trabalho de prevenção, através de palestras e orientação nas 28 unidades de saúde da família”, explicou o secretário de saúde Luis Fábio Marchioro.

Ainda segundo o secretário, as ações da campanha deverão se estender até o mês de fevereiro. “Em cada unidade os profissionais estarão fazendo a busca ativa de casos novos para diagnóstico precoce, orientando e incentivando a realização do exame dos contatos como forma de interromper a cadeia de transmissão da doença. Todos que tiverem suspeita da doença devem procurar sua unidade de saúde. Vale lembrar que todo tratamento é oferecido gratuitamente pela rede pública e a campanha deverá se estender até o mês de fevereiro”, ressaltou ele.

Durante o período durante o período da campanha, a médica especialista em hanseníase e dermatologista, Juliana Reis, estará visitando as Unidades de Saúde da Família e atendendo os casos suspeitos, conforme a programação.

A doença

A hanseníase é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria denominada Mycobacterium leprae. A hanseníase não é hereditária e sua evolução depende de características do sistema imunológico da pessoa que foi infectada. A doença costuma evoluir lentamente e pode levar até 20 anos para que sinais e sintomas da infecção sejam detectados. A doença atinge pele e nervos periféricos podendo levar a sérias incapacidades físicas.

Transmissão

A transmissão se dá provavelmente por via respiratória, por meio de convivência muito próxima e prolongada com indivíduo que apresente a forma multibacilar. A transmissão ocorre mais provavelmente por contato com secreção nasal de nariz de indivíduos doentes que apresentem a forma lepromatosa (multibacilar), que não esteja sob tratamento, pois nesses indivíduos há uma grande quantidade de bacilos na secreção nasal. Tocar a pele do paciente não representa risco significativo de transmissão da hanseníase. O período de incubação (tempo entre a aquisição da doença e da manifestação dos sinais e sintomas) varia de seis meses a cinco anos. A maneira como ela se manifesta varia de acordo com a genética de cada pessoa.

A doença pode atingir pessoas de todas as idades, contudo é a incidência é maior em homens. Como a doença demora para se manifestar é comum que só nos adultos os sinais e sintomas sejam observados, mas normalmente a hanseníase é adquirida ainda na infância.

Veja também


Enquete
O governador de MT Mauro Mendes está há menos de 2 meses no poder e tem enfrentado críticas de vários setores. Qual o seu nível de confiança no atual governo?
  • Parcial