Sorriso FM 99,1

03/10/2018 19:36
Lida 296 vezes.

Fernando Luiz - Depto Jornalismo com GaúchaZH

A Câmara Municipal vota, em sessão ordinária na tarde desta quarta-feira (3), a abertura do processo de impeachment do prefeito Nelson Marchezan – o segundo desde o início da gestão do tucano, em 2016.

Em 2017, pedido de impeachment de Marchezan foi rejeitado por 28 votos a 7. O pedido foi protocolado por Paulo Adir Ferreira, que já foi candidato a vereador e deputado federal pelo mesmo partido do prefeito, o PSDB. Hoje filiado ao PPS, acusa Marchezan de infração político-administrativa grave.

Diz que a Lei Orçamentária Anual de 2017 pelos parlamentares para a Carris, em 2017, foi de R$ 9,8 milhões, mas o valor constado no Portal da Transparência foi de R$ 48,7 milhões.

Tudo indica que o prefeito quer a votação hoje: tirou a urgência do projeto da licença-prêmio, que viria antes do impeachment. E tem umas 50 pessoas no lado das galerias a favor dele, que gritam: "fica Marchezan"

Idenir Cecchim (PMDB) critica a realização da votação hoje - acredita que não deveriam ocorrer votações em respeito aos vereadores que são candidatos no domingo. Diz que há divergências em seu partido sobre a admissibilidade, mas ele vai votar contra

Agora as 16 bancadas, mais líder do governo e líder de oposição vão ter 5 minutos cada para encaminhar os votos. O primeiro foi João Bosco Vaz, afirmando que a bancada do PDT é favorável à abertura do processo de impeachment

Veja também


Enquete
Que nota você dá para a Administração Municipal de Sorriso em 2018?
  • Parcial