Sorriso FM 99,1

04/09/2018 06:30
Lida 568 vezes.

G1/MT

o filhote de onça-pintada deixado por um morador em um pet shop em Sorriso, a 420 km de Cuiabá, na quarta-feira (29), passa por tratamento de saúde e processo de reabilitação no centro veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em Sinop, a 503 km da capital.


De acordo com a veterinária Elaine Dione, responsável pelo setor de atendimento de animais silvestres do hospital, a onça é macho e o estado de saúde dela é estável.

“Ela está recebendo tratamento de suporte, já se alimenta sozinha e interage com o ambiente. Além disso, faz soroterapia e tem reagido positivamente, sem estresse”, contou.

Segundo Elaine, o bebê – que tem entre 2 e 3 meses de vida, passou por alguns exames nesta segunda-feira (3). Os veterinários coletaram amostras de sangue, fezes e urina, e aguardam os resultados.

“Ela passou por muitos traumas, como o desapego da mãe e o contato com humanos. Chegou na clínica muito debilitada, estressada e com a imunidade baixa, que é fator mais preocupante”, disse.

A veterinária explica que as onças dependem da mãe para se adaptar de forma adequada à natureza.

“Esses felinos aprendem a caçar com a mãe e se separam somente depois de um ano a um ano e meio. A preocupação agora é substituir esse vínculo e fazer ela se adaptar a comportamentos da espécie”, explicou.

Para a reabilitação do felino, a clínica em parceria com a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) está propondo atividades e estímulos para que o filhote continue se reabilitando.

“Tem brinquedos e atividades que estimulam o comportamento de uma onça. Não temos clareza nem da origem da mãe. É um processo longo, e logo ela precisará de mais espaço”, disse.

O comportamento do animal está sendo monitorado por vídeo e câmeras noturnas.

Veja também


Enquete
Em sua opinião, qual o principal desafio dos educadores?
  • Parcial