Sorriso FM 99,1

20/08/2018 17:08
Lida 1066 vezes.

Tâmara Figueiredo

A primeira candidata a deputada estadual a ser entrevistada na série de entrevistas da Sorriso FM foi a candidata Adriana Tavares – a Professora Adriana – PSL.

A candidata teve dois minutos para fazer sua apresentação, respondendo primeiramente o que a qualifica para ser uma boa deputada estadual por Sorriso. Colocou-se enquanto mulher, professora e mãe: “Nossa política requer hoje pessoas de postura e de caráter, que não venham apenas para fazer carreira ou viver disso. Temos a consciência do que o cidadão está buscando no perfil do político que o Brasil quer para hoje. O que venho a oferecer é uma cidadã consciente dos meus direitos e deveres e que busca um país melhor. Oportunizar o meu trabalho como professora, enquanto mãe e enquanto mulher no serviço público”.

Posteriormente respondeu a seis perguntas, cujos temas foram sorteados por ela, e depois por sorteio, respondeu aos questionamentos colocados em uma cumbuca. Para isso teve três minutos para responder cada pergunta.

O primeiro tema sorteado foi Segurança Pública. A pergunta sorteada foi em relação aos menores infratores que são apreendidos e logo em seguida liberados por conta da falta de um sistema socioeducativo. Quais as suas propostas para este problema “A segurança pública vem assolando a sociedade. A sociedade está nos cobrando a redução da maioridade penal, se um cidadão pode tantas coisas aos 16 anos ,também pode ser punido aos 16 anos. Sabemos que o sistema sócio recuperacional no pais não funciona. Um camarada preso por ano ele vale 28 mil reais e um estudante por ano vale 2.200 reais. Precisamos de leis severas, segurança jurídica, porque o Estado prende e o governo vem e solta. Só com mudanças nas legislação o infrator vai pagar pelo que causa a sociedade . O menor infrator tem que ser recuperado mas de um modo mais firme. Tem que ser punidos da forma e da maneira que a sociedade acha que deve ser punido”.

Outro tema sorteado foi com relação ao Trânsito e Mobilidade Urbana, pergunta sorteada foi sobre o Aeroporto, sobre o projeto para ser transformado em aeroporto de cargas. “Precisamos falar em cidade, não só no transporte aéreo. Minha maior preocupação enquanto cidadã é com o transito urbano. Daremos muita ênfase a isso. Um trânsito aéreo vai favorecer muita coisa, é importante. Mas o transito em Sorriso é um caos. É onde estaremos focando para que isso melhore. Vemos pais e mães perdendo seus filhos, todos os dias acidentes. Não tem um dia que não nos deparamos com acidentes. Nossa preocupação é fazer projetos de lei para viabilizar o transito e mobilidade urbana nas cidades”.

Outro tema respondido foi Corrupção. A pergunta foi sobre deputados flagrados pegando dinheiro sujo no governo de Silval. E o que fazer para mudar a política no Estado. “A corrupção tem destruído famílias brasileiras. O PSL traz uma juíza que trabalha no combate à corrupção e estamos vindo na mesma cadência dela. Queremos uma legislação que puna o político corrupto. A corrupção afeta a todos, o dinheiro não chega lá na ponta, na saúde, no hospital, nas cirurgias, na educação, onde precisa. Vamos combater isso ferroneamente. Olhe, procure saber se seu candidato é ficha limpa e o que ele pensa. A sociedade está revoltada, indignada estou colocando meu nome à disposição para mudar esse cenário. A sociedade não pode pagar a conta da corrupção”.

Também respondeu sobre Educação e Cultura, sobre projetos para construção de escolas e quadras de esportes “No Brasil só vai haver mudanças se for investido na educação. Nossa Educação perece de projetos que saiam do papel, grita por uma classe de profissionais melhor valorizada. Queremos trabalha pela qualificação dos nosso profissionais, servidores públicos ou não, ouvi. Sou professora e sei o que o profissional da educação passa em sala de aula. Precisamos de um governo que priorize a educação. Eu enquanto legisladora quero legislar em prol do profissional da educação, com incentivo da valorização profissional . Quero anda r lado a lado com eles, ouvi-los e dar voz a eles”.

A próxima pergunta foi sobre Transparência, e a pergunta foi sobre as várias verbas e ajudas de custo na Assembleia “Não acho justo, estamos muito carentes na ponta, com várias áreas precisando de repasses. O trabalho é mais concreto quando existe transparência. Nosso trabalho é transparente, com a preocupação de não nos alinharmos com financiamentos de campanha ao qual depois venha a prejudicar nossa cadeira no legislativo no sentido de ficarmos presos a interesses e não no que precisamos falar. Acho que a população esta mais do que na hora de dizer não a financiamentos de campanha e favores políticos. O perfil do político tem que ser estudado. Quem está na política por favores não há transparência com o cidadão. Temos um posicionamento transparente do que é certo e do que é errado”.

No tema livre a pergunta foi sobre afirmações do candidato Jair Bolsonaro de que a mulher recebe menos porque engravida “Bolsonaro tem trazido uma política contra tudo que joga homens contra mulheres, preto contra branco, heterossexual contra homossexual, contra o machismo, feminismo, tudo aquilo que vem pregando ódio na sociedade. Somos tão importantes no processo que não precisamos de ninguém para nos mostrar capazes. As pessoas tem muito de pegar uma frase solta e fazer daquilo um grande problema. Estudem a fundo cada postura. Sou mulher, sou mãe, sou cidadã, sou professora, educadora, incentivadora e influenciadora de pensamentos. Temos que ser femininas e não feministas. Me sinto honrada por disputar uma candidatura pelo PSL que tem Jair Bolsonaro, que tem a juíza Selma Arruda, ao lado de pessoas que vão trazer a ordem e progresso para o nosso País”.

Ao final, a candidata fez suas considerações finais e pediu seu voto a população.”Esse é um momento especial para o nosso País. Temos um candidato, Jair Bolsonaro que vem fazendo uma campanha sem orçamento, no osso do peito, trazendo uma mensagem real . O que estamos buscando para o nosso pais? Ordem. Homens e mulheres que saibam liderar. Ordem á Jair Bolsonoro, é Selma Arruda, é professora Adriana. A ordem quem institui são as lideranças. E o progresso é nós população”.

Veja também


Enquete
Que nota você dá para a Administração Municipal de Sorriso em 2018?
  • Parcial