Sorriso FM 99,1

29/06/2018 11:56
Lida 498 vezes.

jornal O Estado de S. Paulo.

O cheque especial assumiu a dianteira entre as modalidades de crédito com os maiores juros do sistema financeiro brasileiro. A taxa média cobrada de pessoas físicas, conforme dados divulgados na quarta-feira, 27, pelo Banco Central, chegou a 311,9% ao ano em maio, desbancando da liderança a taxa média do rotativo do cartão, que ficou em 303,6% no período. A maioria dos consumidores que recorrem ao cheque especial, no entanto, desconhece o custo desse tipo de empréstimo.

Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil, e obtida com exclusividade pelo jornal O Estado de S. Paulo, mostra que 17% dos consumidores precisaram recorrer ao limite do banco pelo menos uma vez no último ano. Desses, 63% desconheciam as taxas e os juros cobrados pelas instituições sobre esse financiamento.

Ao todo, os brasileiros devem cerca de R$ 24 bilhões no cheque especial, segundo os dados mais recentes da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), divulgados em abril. O valor médio é de R$ 900.

O efeito "bola de neve", no entanto, faz com que essa dívida se multiplique rapidamente. Um empréstimo de R$ 1 mil feito na modalidade de cheque especial vira R$ 4.119 depois de um ano. No crédito pessoal, seria R$ 1.392 no mesmo período.


Veja também


Enquete
Você já decidiu como irá votar nestas eleições?
  • Parcial