21/06/2018 06:12

Quantidade de visualizações: 137

Assessoria

Mato Grosso tem até esta quinta-feira (21.06) para atingir a meta de 90% de cobertura da campanha nacional de vacinação contra a gripe influenza. A campanha estava prevista para terminar na sexta-feira, 22 de junho, porém como neste dia haverá jogo do Brasil na Copa do Mundo, será ponto facultativo em todo o Estado. Portanto, a campanha para se chegar a 90% de cobertura vacinal foi antecipada em um dia.

O Boletim da Vigilância Epidemiológica Estadual divulgado nesta quarta-feira (19) mostra que das 666.364 mil pessoas que pertencem ao grupo prioritário, um total de 587.449 mil já foram vacinadas. Em todo o estado o índice de cobertura vacinal é de 88,16%, conforme dados lançados pelos municípios no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI) do Ministério da Saúde.

Entre os grupos prioritários, os que apresentam baixa cobertura vacinal são crianças de seis meses até cinco anos de idade e gestantes. Os municípios que precisam intensificar a vacinação desses grupos são: Rondolândia; Santa Terezinha; Jauru; Terra Nova do Norte; Cáceres; Chapada dos Guimarães; Santo Antônio de Leverger; Castanheira e Planalto da Serra; Nova Olímpia, Alto Paraguai, Colniza, Cotriguaçu, Curvelândia, Castanheira e Vale de São Domingos.

Thiago Nunes Rondon, gerente de Vigilância em Doenças Imunopreviníveis da Secretaria de Estado de Saúde (SES/MT), informa que Mato Grosso está acima da média nacional com 88,16% de cobertura, mas ainda precisa chegar aos 90% até quinta-feira, ou seja, resta 1,84% da população prioritária para ser vacinada, o que corresponde a aproximadamente 12 mil pessoas.

Dos 141 municípios mato-grossenses, 53% estão com cobertura acima de 90%; outros 38% estão entre 70% a 90%; e 9% estão com cobertura abaixo de 70%, que são estes doze municípios: Colniza, Rondolândia, Cotriguaçu, Curvelândia, Denise, Jauru, Nova Canaã do Norte, Peixoto de Azevedo, Santo Antônio do Leste, Santo Antônio do Leverger, Alto Paraguai e Cáceres.

Segundo Thiago Rondon, não há nenhuma informação de que o Ministério da Saúde prorrogará a campanha, que é um instrumento para medir a cobertura dos grupos de risco contra a influenza, que já levou 11 pessoas a óbito em Mato Grosso.

“Apesar de estarmos acima da meta nacional, temos que apresentar uma homogeneidade de cobertura vacinal entre os municípios. Os mais populosos como Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis, já bateram a meta, então a gente chama a atenção dos municípios menores que ainda estão com o índice de cobertura abaixo dos 90%”, alertou.

O gerente ainda chama a atenção dos pais para que levem seus filhos aos postos de vacinação até esta quinta-feira, visto que as crianças são as que apresentam menor cobertura da vacina contra a influenza. “A influenza é doença grave, pode levar a óbito e há vacina para atender todo o público-alvo”, observa.

Aqueles que porventura não conseguirem se vacinar, poderão procurar os postos de saúde a partir da próxima segunda-feira (25.06). Enquanto houver doses remanescentes continuará a vacinação. Por outro lado, entre os grupos que mais procuraram os postos para a imunização estão os profissionais da educação e da saúde.

Outro alerta feito por Thiago Rondon é em relação à atualização dos dados da cobertura no sistema nacional. “Pedimos aos municípios que procurem inserir os seus dados no sistema até o dia 22 de junho e isto também é muito importante para batermos a meta dos 90%”.

Mato Grosso recebeu 850.500 doses da vacina contra a influenza para atingir a meta de 660 mil, 30% a mais de doses necessárias para a cobertura total, prevendo eventuais perdas e também para atender as “comorbidades”, que são doenças pontuais e que não estão entre os grupos prioritários por se tratarem de casos isolados e que não são computados na meta oficial nacional de cobertura vacinal.