12/06/2018 06:26

Quantidade de visualizações: 297

Assessoria

O Programa Remédio em Casa que foi implantado em fevereiro de 2017 entra na terceira etapa. Nessa fase já são atendidos 13 bairros: Bom Jesus, Bela Vista, Jardim Primavera, São José, Jardim Amazônia, Jardim Itália, Jardim Carolina, União e Rota do Sol, Fraternidade, Nova Aliança e São Domingos. O programa tem como objetivo entregar medicamento em domicílio para pessoas com dificuldade de locomoção (acamadas), deficientes físicos e pacientes com 65 anos ou mais, que integram o programa do Ministério de Saúde (diabéticos, hipertensos e demais doentes crônicos).

“No início estávamos apenas entregando o medicamento e orientando o usuário de como usar, hoje implementamos os serviços acrescentamos a aferição de pressão arterial e teste de glicemia capilar, conforme a necessidade e recomendação médica. Isso trabalho facilita ainda mais a vida de quem tem dificuldade de locomoção”, explicou o secretário de saúde, Devanil Barbosa.

Atualmente são 280 pessoas atendidas pelo Programa Remédio em Casa, dona Eunice Andrade é moradora do bairro São Domingos e assistida pelo programa. “Pra mim está sendo uma maravilha receber os remédios em casa, porque não tenho ninguém para buscar e a maioria das vezes não tenho condições de pagar moto-táxi, então o programa me ajuda muito, o rapaz que traz o remédio me explica certinho como tomar, estão de parabéns”, contou ela.

Em uma residência no bairro Vila Bela, o programa atende a dona Tereza Maria de Lima, de 85 anos e o esposo Geraldo Correia de Lima, 87 anos, ambos são idosos e hipertensos. “Para nós esse programa ajuda muito, pois fica longe para buscar o remédio e às vezes o sol estava quente tinha que parar no caminho e descansar um pouco, mas agora a gente recebendo o remédio na nossa casa é muito bom, eu aprovei essa idéia”, contou ela.

Já está em estudo através da Atenção Básica a inclusão dos novos bairros, conforme a demanda. O planejamento, conforme o prefeito Ari Lafin, é concluir o atendimento na cidade toda até o final de 2019. “Nós temos uma preocupação que é a população menos favorecida e quem tem dificuldade em se deslocar até as farmácias cidadãs e com esse programa estamos dando dignidade e respeito àqueles que já sofrem com doenças mais graves ou estão em idade avançada e com alguma dificuldade de locomoção”, finalizou o prefeito.