09/06/2018 15:38

Quantidade de visualizações: 514

Fernando Luiz com assessoria/Bruno Pini/Ascom Apr

Faltam pouco mais de quatro meses para as eleições de 2018 e, até o momento, o cenário de candidatos à Presidência da República é incerto. Ainda assim, mostrar os principais nomes e o que cada um deles pode representar à economia brasileira foi o cerne da palestra “O cenário político econômico do país - uma reflexão para os próximos quatro anos”, do economista Ricardo Amorim, durante o encerramento do Circuito Aprosoja na capit AL do estado.

Amorim, um dos apresentadores do Manhattan Connection (Globo News) desde 2003, mostrou de forma bem humorada, por vezes irônica, nomes em um “jogo de cartas” contendo, por exemplo, Jair Bolsonaro, Luis Inácio Lula da Silva, Geraldo Alckmin, Álvaro Dias, Marina Silva, Joaquim Barbosa, Henrique Meirelles, e Ciro Gomes. O economista, no entanto, explicou que estas “cartas” ainda podem mudar no baralho da eleição deste ano.

Também esteve no foco a crise durante o governo da ex-presidente Dilma Rousseff e os desafios econômicos que o próximo presidenciável enfrentará. “Teríamos vivido uma crise econômica mesmo sem a crise política que se instaurou. Além do mais, independente de qual for o presidente eleito para os próximos quatro anos, a reforma da previdência será um dos maiores desafios necessários à gestão”, disse.

Sobre o Circuito Aprosoja, Amorim teceu elogios ao evento. “Eu acredito do fundo do coração que a única forma da gente ter bons resultados é tomando boas decisões. E só tem um jeito de tomar boas decisões: com boa informação. O que eu adoro, e não é a primeira vez que tenho oportunidade de participar do Circuito, é que ele faz exatamente isso, dissemina informações que são absolutamente fundamentais para o produtor poder tomar as decisões corretas e, por consequência, ter bons resultados. Porque é obvio que o produtor, na maior parte do tempo, está voltado para tudo que está acontecendo do lado de dentro da porteira, o que é fundamental, se ele não produz bem não vai acontecer nada. Mas se ele não entender o que acontece do lado de fora, que impacta diretamente no preço do que ele faz, pode haver excelentes trabalhos de produção sem os resultados que deveria”, explicou.

Guardião das Águas - Também no evento, ocorreu o lançamento oficial do projeto Guardião das Águas, que visa orientar e apoiar o produtor rural na manutenção, preservação e restauro das nascentes.

“Até o momento, o que pudemos confirmar é que o produtor rural de Mato Grosso é um dos maiores, senão o maior, conservacionista. Nós já temos os dados da Embrapa mostrando que 65% do território de Mato Grosso está conservado e, destes, 34% estão dentro das propriedades rurais. Agora, nosso papel é fazer o levantamento quantitativo e qualitativo das nascentes dentro dessas áreas. Até o momento, já foram localizadas mais de 800, por meio do projeto Guardião das Águas”, destaca o vice-presidente sul e coordenador da Comissão de Sustentabilidade da Aprosoja, Fernando Ferri.

O Cultivador – Durante o encerramento do Circuito Aprosoja de 2018, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, entregou ao agrônomo e entusiasta do trigo, Hortêncio Paro, o prêmio O Cultivador, na categoria Pesquisa e Inovação. Paro tem mais de 40 anos prestados para ao setor. “Sem conhecimento não existe qualquer possibilidade de desenvolvimento e não há conhecimento que chegue ao produtor sem a assistência técnica”, definiu.