26/05/2018 17:12

Quantidade de visualizações: 281

Assessoria

A primeira etapa de vacinação contra febre aftosa de 2018 termina na quinta-feira (31.05), em Mato Grosso. O produtor deve vacinar todo o rebanho bovino e bubalino, de mamando a caducando, com exceção das propriedades localizadas no baixo Pantanal. A estimativa para a campanha de maio é imunizar 29 milhões de animais. Até a última quarta-feira (23.05), 39% das propriedades haviam comunicado a vacinação nos escritórios do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), o que representa apenas 38,11% do rebanho a ser vacinado nesta etapa.

A presidente da autarquia, Daniella Bueno, frisou que além do prazo para a vacinação do rebanho há ainda o da comunicação da imunização ao Indea. “É importante que o produtor não deixe para a última hora. O período para comunicar a vacinação termina no dia 11 de junho. Ele pode se dirigir ao escritório do Indea da sua cidade, assim que vacinar todo o rebanho da propriedade”. Para efetuar a comunicação, o produtor precisa apresentar a relação dos animais vacinados por faixa etária e sexo, e a nota fiscal da compra da vacina.

A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. E desde o ano 2000, o estado é reconhecido internacionalmente pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como livre de febre aftosa com vacinação, e desde então o estado tem mantido o status sanitário. Há 11 anos o estado mantém o índice de vacinação acima de 99%, dado este que representa o comprometimento do produtor rural, do serviço veterinário oficial e de todos os demais envolvidos na cadeia produtiva.

A multa para quem deixar de vacinar o rebanho dentro do período da campanha é de 1 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.