Sorriso FM 99,1

04/05/2018 16:08
Lida 770 vezes.

Diário de Cuiabá



A região Amazônica concentra mais de 90% dos casos de malária registrados em todo país. Por isso, Mato Grosso está entre os nove estados da região, considerados como os principais alvos da campanha de prevenção, controle e eliminação da doença, lançada pelo Ministério da Saúde (MS). Em pouco mais de dois anos, o Estado registrou 1.347 casos de malária.

Do total, 180 foram no período de janeiro a 27 de abril deste ano. Em 2017, foram 596 casos e, 571 ocorrências positivas, em 2016. Os dados são da Vigilância Epidemiológica, ligada à Secretaria de Estado de Saúde (Ses/MT). Para a redução do número de casos, o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Osnei Okumoto, considera fundamental a integração de todos (governo e sociedade) fundamental no combate à doença.

“O Ministério da Saude tem encaminhado, periodicamente, técnicos aos estados endêmicos, para que se faça um trabalho conjunto com os gestores locais de saúde. Prestamos orientação com relação à política de combate à malária e sobre a otimização dos recursos. É um trabalho integrado entre o Governo Federal, estados e municípios, que visa atingir as metas definidas até o ano de 2030, para eliminação da doença no país”, explicou.

No país, as ações têm como ênfase na eliminação da malária causada pelo Plasmodium falciparum. Para intensificação de ações de combate e controle da doença, o Ministério da Saúde informou que foram repassados R$ 11,9 milhões em 2017 aos nove estados localizados na região Amazônica, sendo eles Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, além de Mato Grosso.

“É importante ressaltar que existem casos em outras unidades da federação, portanto a vigilância não deve ser negligenciada, diante do risco de reintrodução, agravado pelo fluxo migratório em áreas suscetíveis”, informou o MS por meio da assessoria de imprensa.

Neste ano, a campanha, que tem como slogan “Faça o tratamento até o fim. Sem a doença, você vive muito melhor”, visa conscientizar sobre o diagnóstico e tratamento da doença, além de estimular a adoção de medidas sustentáveis para controle e eliminação da malária.

Por meio da assessoria, a Vigilância Epidemiológica informou que realizada diversas ações para o controle da malária, no Estado. Entre elas, acompanhamento, por meio do sistema de informação SIVEP-Malária de riscos de surtos e/ou epidemias nos municípios prioritários, intensificação do diagnóstico precoce para o tratamento oportuno da doença, intensificação das buscas ativas dos casos suspeitos e implementação das medidas para a prevenção e/ou controle a ocorrência da doença.

Veja também


Enquete
Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria para prefeito (a) de Sorriso?
  • Parcial