23/04/2018 14:37

Quantidade de visualizações: 498

G1/MT


Professores da rede municipal de ensino de Pedra Preta, a 243 km de Cuiabá, decidiram suspender as aulas nas unidades em protesto por reajuste salarial, melhores condições estruturais das escolas e elaboração de um novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) no município.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT), sete escolas devem permanecer fechadas até sexta-feira (27), o que afeta aproximadamente 1,4 mil alunos. Os servidores não descartam a possibilidade de greve, caso o município não atenda às exigências.

A Secretaria Municipal de Educação reconheceu os problemas apontados pelo sindicato e afirmou que está trabalhando para atender às reivindicações. Segundo a pasta, a prefeitura firmou um compromisso com a comissão que faz parte do sindicato de que até o dia 30 de maio irá cumprir parte da reelaboração do PCCS reivindicada por eles.

Essa é a terceira mobilização feita pela categoria em Pedra Preta, apenas neste ano. A primeira ocorreu em fevereiro, quando as unidades de ensino passaram um dia sem aulas, e a segunda, em março, ocasião em que as aulas foram suspensas por três dias.

Segundo o município, o baixo orçamento dificulta o cumprimento de todas as exigências feitas pela categoria, mas aparelhos de ar condicionado já foram comprados e devem ser instalados nas unidades de ensino.

A Secretaria de Educação disse que as gestões anteriores "deixaram a desejar", porque nem mesmo havia documentação do terreno de algumas escolas e que o município precisou providenciar a documentação para, somente então, buscar verbas e emendas, razão pela qual as reformas serão feitas apenas agora.

A pasta afirmou que as reformas das escolas irão acontecer de forma gradativa, devido à burocracia que há na administração pública e necessidade de que tudo passe por processos licitatórios.