07/02/2018 08:07

Quantidade de visualizações: 186

G1

O servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) Valdecir Cardoso de Almeida deve prestar depoimento à CPI do Paletó - Comissão Parlamentar de Inquérito instaurada pela Câmara de Vereadores de Cuiabá para investigar suposta propina recebida pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), à época em que ele era deputado estadual - nesta quarta-feira (7). Emanuel nega qualquer ato ilícito.

Ele deve ser a primeira das quatro testemunhas que já foram intimadas a depor na CPI, que apuram se Emanuel Pinheiro cometeu quebra de decoro e obstrução da Justiça.

Valdecir foi o responsável por instalar a câmera usada para gravar o prefeito e outros políticos que aparecem recebendo dinheiro, supostamente a título de propina, do ex-chefe de gabinete do então governador Silval Barbosa (PMDB), Silvio Cesar Corrêa.

As imagens foram entregues por Silval à Procuradoria Geral da República (PGR) no acordo de delação que ele firmou no ano passado. O acordo foi homologado ainda em 2017 pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

No próximo dia 16, os membros da CPI devem ouvir Silvio Corrêa, que aparece entregando os maços de dinheiro. Tanto ele quanto o ex-governador Silval Barbosa dizem que se tratava de pagamento de propina em um esquema para que os deputados não prejudicassem as ações do Executivo.

Pelo cronograma da CPI, no dia 21 deste mês, será ouvido o ex-secretário estadual Allan Zanata, que teria sido o responsável por gravar um áudio junto ao ex-chefe de gabinete, que foi encontrado pela Polícia Federal na casa de Emanuel Pinheiro, durante cumprimento de mandado de busca e apreensão.

Último a ser ouvido, Silval Barbosa deverá prestar depoimento no dia 23 de fevereiro.

Para os vereadores que fazem parte da base do prefeito na Câmara, houve precipitação na CPI, porque o conteúdo da delação premiada do ex-governador e outras provas ainda estão no STF. Mas o presidente da CPI, Marcelo Bussiki (PSB), avalia que isso não impede o avanço das investigações.

O vídeo

As imagens mostram Emanuel Pinheiro chegando ao gabinete e perguntando do dinheiro: “E aí? Como é que ficou? ”, questiona. “Quatrocentos e cinquenta agora. Mas tem que trazer uma mochila”, responde Silvio.

Emanuel orienta como prefere receber: “O de 100 para mim”, diz. “Só tem pacote de 100. Você quer levar um de 100?”, pergunta Silvio. “Não. Me dá os cinquenta”, responde Emanuel. “Não dá. Tem vinte aqui já”, fala Silvio.

O diálogo continua: “E não tem mais nenhum?”, pergunta Emanuel Pinheiro. “Não. Só de vinte”, afirma Silvio Cezar. “Eu levo vinte e você dá trinta pra ele. Feito?”, diz Emanuel.

E aí o prefeito enche os bolsos do paletó de dinheiro. “Ê, Silvio! ”, exclama Emanuel Pinheiro, do PMDB. Deixa até cair. Ele se agacha para juntar os maços de dinheiro e confere. “Aqui tem quanto? Vinte? Contado?”, pergunta Emanuel.