13/01/2018 16:03

Quantidade de visualizações: 303

Fernando Luiz com assessoria

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) publicou a portaria nº 003/2018, que trata do prazo para cadastro das áreas de produção de sementes para uso próprio. Os produtores rurais que utilizam as chamadas “sementes salvas” podem cadastrar as suas áreas, excepcionalmente neste ano, até 15 de fevereiro.

“A portaria é importante porque o sistema de cadastro do Indea-MT estava instável e, em muitas unidades, os responsáveis pela área vegetal estavam em férias. Por isso, a associação achou fundamental pleitear esta prorrogação de prazo”, afirma Lucas Costa Beber, 2º diretor administrativo e coordenador da comissão de Defesa Agrícola da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja).

Costa Beber avalia que salvar sementes tem vantagens como a garantia da qualidade do produto, pois o agricultor sabe o que está plantando. Há também a segurança de ter a semente na propriedade no momento em que precisar plantar, sem necessidade de aguardar entrega das revendas. E ainda tem variedade que é necessária para a sua área.

“Para áreas com determinados tipos de nematoides, por exemplo, há poucas variedades disponíveis no mercado. Com a semente ‘em casa’, o produtor terá mais certeza de que haverá produtividade”, explica o diretor. Além, é claro, de diminuir o custo de produção. A portaria do Indea-MT está na página 26 do Diário Oficial do Estado.