09/11/2017 15:21

Quantidade de visualizações: 218

Olhar Direto



O presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) Neurilan Fraga (PSD) confirmou que caso o governo não apresente uma boa proposta para os pagamentos relacionados aos atrasos da saúde e da educação dos municípios até a próxima sexta-feira (10), os prefeitos irão entrar comum pedido de afastamento do governador Pedro Taques (PSDB) por improbidade administrativa.

Em entrevista ao Olhar Direto, Fraga afirmou que na próxima sexta-feira os prefeitos irão se reunir em uma assembleia para discutir vários assuntos, dentre eles a retomada da conversa com o governo para decidir sobre os pagamentos de repasses, principalmente na área da saúde.

“Nos reunimos como Max Russi e ele nos fez uma proposta que não aceitamos. Decidimos que caso não haja entendimento com o governo vamos entrar com um pedido de afastamento por improbidade administrativa”, declarou.

O presidente também criticou a postura do Secretário de Comunicação do Estado, Kleber Lima em dizer que Neurilan é um porta voz ilegítimo dos prefeitos de Mato Grosso, por não ser prefeito. O titular da Secom também afirmou que Fraga está fazendo campanha para uma candidatura em 2018.

“Dos 126 municípios filiados, eu fui eleito com o voto de 110 deles. Tenho legitimidade para falar por eles, pois o estatuto permite. Eu percebo que o governo não me respeita como presidente da AMM, mas todos os prefeitos, incluindo os não filiados sim. Não sou candidato a nenhum cargo político e o que não pode é um secretário nomeado dizer que eu não tenho legitimidade”, destacou.

A reportagem entrou em contato com o secretário do gabinete de comunicação Kleber Lima, que disse que Neurilan tem acesso livre para ir conversar com o governador Pedro Taques sem precisar da estrutura da AMM para fazer política.

“O Neurilan está usando a AMM como comitê eleitoral. Ele não é prefeito e tem acesso para vir conversar com o governador. Ele não precisa usar a estrutura da AMM para fazer comício”.