29/10/2017 12:12

Quantidade de visualizações: 141

Fernando Luiz com assessoria

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) fez parte da programação do III Congresso Internacional da Soja, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia. A coordenadora da comissão de Defesa Agrícola e doutora em Fitopatologia, Roseli Giachini, apresentou a palestra “Proteção fitossanitária como uma ferramenta de sustentabilidade na produção de soja”.

Entre os principais temas discutidos no país vizinho, podem ser citados a resistência de pragas e doenças, a qualidade de aplicação de defensivos, o manejo integrado, a sustentabilidade na agricultura, o vazio sanitário e a rotação de culturas.

“Os temas vêm ao encontro do momento atual que o Brasil passa, de olhar o sistema produtivo como um todo e integrar o manejo, não somente olhar a cultura. A Bolívia produz nos mesmos paralelos que o Brasil e as técnicas de medidas fitossanitárias devem ser integradas em toda a América do sul. Sofremos dos mesmos desafios, portanto nossa participação foi importantíssima”, define Roseli.

Organizado pela Associação de Produtores de Oleaginosas e Trigo da Bolívia (Anapo), a participação da Aprosoja no congresso é mais um passo dado no Grupo de Trabalho Latino-Americano (GTA-Latam). Criado neste ano, o grupo une o Brasil, por meio da Aprosoja, a Bolívia, o Paraguai e a Argentina no controle fitossanitário da soja.

“Certamente nossa participação amplia a proximidade técnica com a Anapo na troca de experiência e projetos. Nossa apresentação reuniu cerca de 420 produtores bolivianos que investiram na busca do conhecimento ao participarem do evento. Deixamos um desafio ao sensibilizá-los sobre temas que interessam a todos nós, principalmente em relação ao desafio de controlar da ferrugem asiática em toda a América do Sul”, completa a diretora.