17/10/2017 15:38

Quantidade de visualizações: 179

Fernando Luiz - Depto Jornalismo

Depois de um longo período de espera finalmente voltou a chover em Sorriso, Capital Nacional do Agronegócio e o maior produtor individual do mundo da oleaginosa.

“Hoje a formação da lavoura da soja não chega a preocupar pois estamos ainda dentro de uma janela ideal, mas já começamos a pensar na frente, no plantio da segunda safra”, comentou em entrevista à RADIO SORRISO o presidente da Aprosoja Endrigo Dalcin.

Já o presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Luimar Gemmi, vem mantendo as recomendações de há muito tempo, desde as primeiras chuvas menos expressivas e a palavra de ordem é cautela. “Neste momento não podemos errar, temos que acertar o olho da mosca, pois qualquer atitude desmedida pode acarretar dissabores e com o alto custo de produção, tanto de insumos, defensivos como de sementes, não podemos correr riscos e a palavra é cautela, dar o bote na hora certa”, comentou.

Com a última precipitação da segunda-feira (17) que variou entre 10, 15 e até 50 ml em talhões variados, é importante que o produtor observe bem a situação. “Alguns talhões que foram plantados com as primeiras chuvas estão com excelente aparência enquanto em outros talhões nada foi plantado” comentou o produtor Luiz Carlos Nardi da localidade do Barreiro que teria atingido uma média de 45% da área plantada enquanto em anos anteriores a formação teria sido completa.

Enquanto alguns produtores buscam aproveitar a umidade desta chuva que caiu e lançam a semente em talhões mais favoráveis, outros preferem esperar a regularidade das chuvas. “Olha, a previsão de regularidade para o eixo da BR 163, e principalmente para Sorriso, será a partir do dia 20 de outubro, não devendo passar deste período, o que então poderá propiciar a formação completa das lavouras de soja”, comentou o meteorologista do INMET, Luis Cavalcante.

Por partes e regiões.

A localidade do Pontal do Verde já plantou 100% da sua área, enquanto o Barreiro teria em aberto cerca de 55%. Excelentes condições para sequência do plantio na comunidade do Felipetto, Morocó e Linha 404. Em Boa Esperança do Norte que planta 30% da área do município, as condições depois da última chuva, conforme o sub- prefeito Calebe Frâncio, deverão dar um grande impulso no plantio que até hoje teria atingido cerca de 40% da área prevista, pois em algumas localidades teria tido índice pluviométrico de até 50 ml.

De uma área prevista de 633 mil hectares, o município registra, conforme informações do Sindicato Rural, cerca de 40.24% já cobertos. Em anos anteriores este índice chegava em 45/46%.