01/07/2017 17:29

Quantidade de visualizações: 675

Fernando Luiz - Depto Jornalismo

Tendo como local o Salão Nobre da Coacem - MT 242 – foi selada por mais dois anos – 2017/2019 - a Convenção Coletiva de Trabalho entre as classes patronal e trabalhadores rurais, com excelente participação de associados do Sindicato Rural e Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso.

Acompanhados de seus representantes jurídicos - Dra. Fabiana de Lima (trabalhadores) e Dra Adriana Lermen Bedin (patronal) foi relevante o grau de satisfação de ambas as classes e seus respectivos presidentes.

A Convenção Coletiva de Trabalho abrange as categorias dos empregados rurais em agricultura, pecuária, suinocultura, avicultura, ovinocultura, piscicultura e cozinheiros(as) com abrangência territorial em Sorriso.

O piso salarial ou salário normativo dos empregados em agricultura, da pecuária e cozinheiros(as), abrangidos pela convenção Coletiva de Trabalho, com exceção daqueles previstos nos parágrafos primeiro e segundo, será da seguinte forma: R$ 1.243,00 a partir de 01 de agosto de 2017 até 31 de julho de 2018, sendo que o equivalente a R$ 1.243,00, será acrescido do percentual que vier aumentar o salário nacional e mais 1% (hum por cento) a partir de 1º de agosto de 2018 até 31 de julho de 2019.

Para o presidente do Sindicato Rural de Sorriso a união das duas classes é excelente a partir do momento em que sentam na mesma mesa. “Isto mostra o crescimento e quanto as entidades estão grandes e capacitadas em sentar numa mesma mesa e debaterem os assuntos de interesse de ambas as partes e foi exatamente isto que aconteceu hoje aqui, depois de vários encontros e reuniões, junto com os demais associados dos dois sindicatos e consolidamos este acontecimento, com o documento escrito e aprovado pelas duas entidades, o que nos dá um conforto e uma tranquilidade estando no caminho certo e devemos seguir as normativas desta Convenção” comentou Luimar Luiz Gemi.

Com relação a algumas mudanças que houveram relativas a Convenção passada,

Luimar Gemi também ressaltou de que, foram acrescidas algumas reivindicações e “podados” alguns gargalos de ambas as categorias, deixando as partes amplamente satisfeitas.

Por sua vez o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sorriso, as reuniões e encontros das duas classes com seus associados foi imprescindível para este evento da renovação da Convenção Coletiva do Trabalho.

“Nada que um bom diálogo para se chegar à um bom senso, uma vez que foram discutidos vários itens que estavam nos gargalos e com dificuldade de interpretação e foram feitas as mudanças necessárias, sempre com muita conversa e cada um cedeu um pouco e isto mostra a importância das duas classes se unirem, pois no final das contas, o patrão depende do empregado e logicamente que o empregado depende do patrão”, completou Marcio Luiz Kuhn.

O evento foi finalizado com um almoço, onde mais uma vez as duas classes sentaram na mesma mesa.

Sorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de TrabalhoSorriso: Patrões e empregados renovam Convenção Coletiva de Trabalho