11/05/2017 15:57

Quantidade de visualizações: 522

G1


Médicos do Hospital Regional de Sorriso paralisaram o atendimento nessa quarta-feira (10/05) por conta de atrasos de repasses pelo governo do Estado. De acordo com ofício que foi encaminhado ao governo do Estado, os profissionais alegam que estão há três meses sem receber e denunciam a superlotação da unidade. De acordo com o diretor clínico da unidade, Rodrigo Bezerra, a paralisação deve ocorrer até que os repasses sejam regularizados.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) emitiu uma nota em que alega que R$ 9,7 milhões, referentes aos pagamentos de janeiro e fevereiro, já foram repassados em maio para o hospital.

A secretaria de saúde admite o atraso no pagamento do mês de março e afirma que o repasse de maio só deve ser feito após a entrega da planilha de despesas desse mês junto ao governo.

No documento assinado pelos 71 profissionais do hospital, os médicos denunciam a falta de repasses para as empresas médicas e fornecedores, a superlotação da ala de emergência e a carência de medicamentos “essenciais para a manutenção do hospital”.

Além disso, os servidores alegam a precariedade da estrutura do hospital, como problemas na rede elétrica, ala de esterilização de material e outros ambientes. “O problema não é mais a falta dinheiro. Já estamos acostumados com isso, mas chegou a um ponto em que o hospital está praticamente parado. Falta insumo hospitalar, medicação. Em 25 anos, esse é o pior momento do hospital”, afirmou Bezerra.

Os procedimentos ambulatórios e cirurgias eletivas devem ser suspensos durante a greve. Apenas os serviços de urgência e emergência devem ser mantidos.