03/05/2017 15:09

Quantidade de visualizações: 559

Decom


O livro é um mudo que fala, um surdo que responde, um cego que guia, um morto que vive. A clássica frase é de Padre Antônio Vieira. Para os amantes da leitura, o livro é ainda mais. Ele é porto de partida, porteira aberta, avião, nave espacial, brinquedo. O livro é um portal. Fazer com que cada criança descubra que é possível abrir esta porta e ter acesso a um mundo repleto de possibilidades é um dos maiores desafios dos educadores.

E é justamente para promover a prática da leitura na infância que um grupo de professoras e coordenadoras de Centros Municipais de Educação Infantil de Sorriso (Cemeis) participa hoje (3) de uma formação com a contadora de histórias Valdete Asevedo na sede da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec). Pedagoga, professora universitária e contadora de histórias há cerca de 40 anos, Valdete está em Sorriso por meio do Projeto Jeitos de Aprender, implantado em Sorriso pela Fundação Abrinq, com patrocínio da Nidera.

A coordenadora de projetos da Semec, Elenice Schilling, explica que três Cemeis foram escolhidos para integrar o projeto da Abrinq, os Cemeis Jardim Amazônia, São José e São Domingos, no entanto, foi solicitado à instituição que representantes de todos os 12 Cemeis do município pudessem participar das formações, permitindo assim enriquecer a prática pedagógica das unidades.

O projeto inclui a doação de material de literatura para as três unidades e uma intervenção na estrutura física do Cemeis São José. Mais que isso, a formação vai tornar ainda mais divertido o processo de ensino-aprendizagem, pois traz novas perspectivas às profissionais da educação. A pedagoga Daniele Pazinato, do Cemeis São Domingos, conta que livros e fantoches ficam sempre à disposição das crianças, dando liberdade para que possam liberar a imaginação, criar suas histórias e contar para os colegas. “O resultado é muito positivo e gratificante”.

E é justamente esta liberdade, esta magia que cria na criança o hábito da leitura. “Para que tenhamos leitores do futuro, precisamos trabalhar este tema logo na primeira infância”, explica, lembrando que a melhor forma de estímulo é o exemplo e a oferta de material. “Além do estímulo recebido na escola, é importante ter livros em casa, presentear com livros, levar as crianças a bibliotecas e a livrarias”.

Em Sorriso, além dos acervos disponíveis nas unidades escolares, a Biblioteca Municipal Monteiro Lobato, que fica na Praça da Juventude, conta com um acervo de 10 mil livros, que podem ser consultados e emprestados à população. Para tanto, é só fazer uma carteirinha na própria unidade, que funciona de segunda à sexta-feira, das 7h às 11 horas e das 13 às 17 horas. Outras informações pelo 3544 5648.