16/04/2017 10:39

Quantidade de visualizações: 483

Eduardo Turella com Gazeta Digital

Em meio à repercussão negativa das delações de ex-executivos da empreiteira Odebrecht apontando que a cobrança de propinas milionárias era prática corriqueira no país há décadas envolvendo centenas de políticos de diversos partidos e respingam nos 3 últimos ex-presidentes: Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) resolveu aprovar uma homenagem ao ex-presidente Lula condecorando-o com o título de cidadão mato-grossense.

A proposta partiu do deputado estadual Valdir Barranco (PT) e foi aprovada em 1ª votação no Legislativo Estadual na última quarta-feira (12). A iniciativa não agradou a todos e já é alvo de críticas e até xingamentos em redes sociais e em grupos no aplicativo de celulares WhastsApp.

No texto de justificativa, o deputado Barranco argumenta que os dois mandatos de Lula como presidente do Brasil (2003 -2006 e 2007-2010) foram marcados “principalmente pela implementação bem sucedida de programas de distribuição de renda, como bolsa família, e de acesso dos mais pobres a linhas de créditos, salários mais altos, geração de empregos e melhor qualidade de vida em educação, moradia, infra-estrutura e saneamento e outro dos quais o Estado de Mato Grosso foi e está sendo incalculavelmente beneficiado”.

Em outro trecho ele continua a justificar os motivos da homenagem. “Portanto, pelos motivos sinteticamente apresentados, por sua competência e pelos relevantes serviços prestados à sociedade brasileira, o desenvolvimento e avanço social que mato-grossenses apreciaram, proponho a concessão do Título de Cidadão Mato-grossense ao senhor Luiz Inácio Lula da Silva que indiscutivelmente merece todas as honras e respeito. Para tanto apresento a proposição legislativa e peço apoio dos nobres pares pela sua merecida aprovação”, enfatiza o deputado petista no projeto que foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia. O inteiro teor do projeto pode ser conferido aqui.

Lula nasceu em 27 de outubro de 1945 em Caetés, na época um distrito do município de Garanhuns, interior de Pernambuco.

A homenagem ao ex-presidente está sendo questionada na internet pelo integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), Ulysses Moraes. Ele publicou um vídeo no Facebook onde diz que a proposta é absurda e que o povo-mato-grossense não pode concordar com tal homenagem.

“Os mato-grossenses não podem aceitar de maneira alguma esse absurdo, isso afronta a inteligência do povo dessa terra, dar título de cidadão mato-grossense ao Lula no atual cenário é chamar todos os mato-grossenses de bandidos, propineiros e desonestos. Valdir Barranco que propôs isso me parece achar normal essas acusações que vêm sendo feitas ao ex-presidente e que inclusive acha que deve homenageá-lo. Ou seja, está agraciando o presidente Lula enquanto muitos trabalhadores da saúde, médicos, enfermeiros, policiais, educadores que sempre deram o sangue pra essa terra nunca receberam isso. E isso vale também pra todos os deputados que aprovaram esse absurdo mesmo sabendo que isso vem de encontro a um caminho errado e provavelmente corrupto.Isso é humilhar os mato-grossenses que amam essa terra e lutam por um país mais justo”, diz Ulysses Moraes

Por outro lado, também existem na internet, em vários grupos de WhastsApp, críticas ao movimento MBL pelo fato de que o mesmo, até o momento, não se manifestou sobre o teor das delações dos ex-executivos da Odebrecht que envolvem os maiores partidos políticos do Brasil entre eles PSDB, PT, PP, PMDB, PR, DEM, PDT, PSD, PTB, SD, PC do B, e suas principais lideranças com e sem mandatos eletivos. No canal no Facebook intitulado “10 minutos de Democracia” não existe até o momento, qualquer publicação exigindo moralidade dos políticos citados nas delações, independente do partido que estão filiados.