14/04/2017 10:42

Quantidade de visualizações: 293

Eduardo Turella com Gazeta Digital

Peixe é um dos alimentos típicos de Mato Grosso e quem não gosta de ir a uma boa peixaria, para aproveitar a iguaria ou mesmo fazer aquele banquete em casa?

Nesta época do ano, por conta da tradição católica, muitos se abstêm da carne, especialmente na Sexta-Feira da Paixão, dia em que Jesus Cristo, conforme a Bíblia, morreu crucificado. Outros mais radicais fazem o jejum de carne durante os 40 dias, na Quaresma, período que marca a trajetória final de vida de Cristo, da Quarta-feira de Cinzas à Páscoa.

Para os cristão, este é momento de depuração espiritual e corporal.

Porém, nutricionistas recomendam o peixe por seu valor nutricional o ano todo.

Por conta de seus benefícios, além de ser considerado santo, pela questão religiosa, é também um santo remédio nutricional.

Confira os benefícios do Peixe:

Fornece proteínas complexas, iodo, vitaminas e minerais, lipídios e um hormônio chamado esteróide, do qual muitas pessoas não possuem em quantidade suficiente no corpo. Ômega 3, essencial ao bom funcionamento do corpo e cérebro, preventivo contra doenças, como o câncer inclusive.

Evita doenças cardíacas e AVC, que são as duas das principais causas de morte prematura em todo o mundo. Cientistas acreditam que os peixes gordos são mais benéficos para o coração por causa de sua alta concentração de ômega-3 e, portanto, para reduzir o risco de doenças cardíacas em até 20%, recomenda-se comer duas ou três porções de peixe por semana.

Ajuda no crescimento saudável de bebês, especialmente olhos e cérebro. Grávidas e lactantes são orientadas a incluir o peixe na dieta

Age contra a deterioração do cérebro, portanto evita câncer e Alzheimer, esclerose e ajuda no envelhecimento mais saudável, tanto é que nos países orientais onde o peixe está na dieta de rotina os idosos vivem muito e fortes.

Combate a depressão, já que vários estudos têm demonstrado que os ácidos graxos ômega-3 ajudam a equilibrar hormônios e a aumentar a eficácia de antidepressivos.

Reduz o risco de doenças auto-imunes, incluindo a diabetes do tipo I.

Atua contra a asma infantil e reduz chances da criança desencadear crises em até 24%.

Melhora o sono, já que os distúrbios dessa natureza são associados por especialistas à deficiência de vitamina D.(Com informações de sites especializados em saúde)