12/04/2017 08:36

Quantidade de visualizações: 1155

G1

Após sua expulsão no última segunda (10), o cirurgião plástico Marcos Harter, que reside em Sorriso, se pronunciou nesta terça-feira (11) em seu instagram pedindo desculpas “a todos os envolvidos” sobre o caso de assédio contra a sister Emily durante confinamento no Big Brother Brasil (BBB) 2017. Esse não foi o único caso, o ator cuiabano Otaviano Costa foi afastado de seu cargo como apresentador do Vídeo Show na terça-feira (04) por rir da atitude machista de Marcos no BBB 17.

O brother Marcos Harter disse em nota nesta terça-feira (11) que todo casal passa por dificuldades e que jamais teve intenção de machucar Emily. Ele atribuiu seu comportamento agressivo ao formato do programa BBB e pediu desculpas as pessoas que considerou envolvidas na situação.

“Como todo casal passamos por momentos de alegria, ansiedade, euforia e tensão. Jamais tive a intenção de machucar física ou emocionalmente uma pessoa pela qual nutri tanto carinho e afeto. O programa tem um formato destinado a levar nosso emocional ao limite e consequentemente os nervos à flor da pele. Repito: Jamais tive a intenção de machucá-la ou agredí-la, estou surpreso com tudo que está acontecendo. Peço desculpas a todos os envolvidos, Emilly, sua família, demais participantes e a todo o Brasil”.

Ainda na semana passada, o ator Otaviano Costa riu da atitude machista de Marcos quando as imagens do assédio foram veiculadas durante o programa Vídeo Show, do qual é apresentador. Na situação, Marcos era exibido no vídeo exaltado quando Vivian se aproximou e disse “Precisa disso?”, foi então que Otaviano completou “Precisa sim, a gente gosta, ué. É bom agitar” aos risos.

Depois da repercussão negativa, Otaviano foi substituído na apresentação do programa por Rafael Cortês. Em seu pronunciamento oficial, o ator assumiu o comportamento machista e pediu desculpas.

“Eu mesmo fiz uma brincadeira soando um machismo feio, grosso, desordeiro. Fiquei mal porque ao zelar pela brincadeira do BBB, vi o quão machista eu estava sendo ao aparentemente estimular um homem apontando o dedo no rosto de uma mulher, coisa que eu abomino. Todos nós aprendemos com essas mudanças na sociedade. Espero ter deixado claro meu posicionamento. Eu não sou esse ser que eu abomino, é óbvio que é nojento qualquer situação que coloque uma mulher em uma situação como aquela. A vocês o meu respeito e o singelo pedido de desculpas”, disse Otaviano.

Em meio a tudo isso, mensagens de alerta sobre assédio correm a internet e uma delas se destacou nesta terça-feira (11): a de uma juíza Fderal do Trabalho em Recife, que condena a postura da Rede Globo como perpetuadora de casos de abuso contra a mulher.

Confira a fala da juíza na íntegra:

Queridas, antes de divulgar e exultar com a postura da Globo em “ punir” José Mayer por assédio ou afastar Otaviano Costa do vídeo show por rir de atitude machista do Big Brother lembrem-se de que foi a Globo que universalizou entre nós a cobiça por Anita, apresentada como uma “ ninfeta” ousada que seduzia um homem casado e com idade de ser seu pai. Foi a Globo que nos apresentou Angel, uma adolescente que permeou o imaginário dos desejos mantendo um ardoroso caso com o marido da sua própria mãe.

Foi a Globo que em Laços de Família envolveu o Brasil na polêmica trama em que a jovem filha rouba Edu, o namorado da mãe, interpretado por Reynaldo Gianecchini.

Foi a Globo que em Avenida Brasil nos trouxe como núcleo de comédia a trama com três mulheres envolvidas com o mesmo homem, o empresário Cadinho e que declinam de suas vidas e sem dignidade para se sujeitarem a viver com ele, mesmo após se descobrirem enganadas. Em Império, a Globo preencheu o imaginário de desejos com a trama do charmoso Comendador que mesmo casado com Marta, mantinha um fogoso affair com uma menina mais jovem que sua própria filha.

Foi a Globo que fez o Brasil se divertir com o programa Zorra Total, que tinha em seu quadro principal duas amigas em um vagão de metrô, sendo uma delas, a Janete, bolinada de várias formas e tocada em suas partes íntimas com a batuta de um maestro enquanto a sua amiga Valéria, ao invés de defendê-la, dizia: “aproveita. Tú é muito ruim, Babuína se joga.”

Então queridas, quando essa emissora diz em nota que "repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito" está em verdade sendo dissimulada e ofensiva por nos considerar alienadas ou parvos.

A verdade é que a Rede Globo coisifica as mulheres, naturaliza a violência, os abusos e assédios, incentiva o desrespeito, ridiculariza o papel e a posição da mulher e subalterna nossa dignidade.

São mensagem explícitas e subliminares como as que está Rede Globo universaliza e crava no imaginário masculino brasileiro que estupram, abusam, ferem e vitimam milhares de Mirellas que habitam entre nós.