07/04/2017 09:43

Quantidade de visualizações: 422

Tâmara Figueiredo

Estiveram em Sorriso o vice-governador e secretário de Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro, acompanhado do procurador de Justiça Ambiental e da Ordem Urbanística do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, doutor Luiz Alberto Scaloppe para discutir com demais instituições envolvidas como a Prefeitura Municipal de Sorriso, IFMT, Corpo de Bombeiros, Ministério Público, SEMA e Concessionária Rota do Oeste sobre a instalação em Sorriso de um CETAS – Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres.

Nesta primeira reunião, realizada no Centro de Eventos Ari José Riedi o assunto foi discutido junto a Administração Municipal e nesta primeira etapa com a adesão de varias entidades foram definidas quais serão as incumbências de cada uma delas no projeto. Inicialmente, o IFMT irá ceder uma área e também parte da madeira que foi doada pelo IBAMA também será destinada para a obra bem abrigará um ambulatório. As demais instituições também terão participação direta no projeto.

O procurador de justiça ambiental e da ordem Urbanística do Ministério Público, Luis Scaloppe explanou sobre o projeto “primeiro quero esclarecer a população que não se trata de recolher animais domésticos, se trata da proteção da fauna da natureza. Tem uma importância muito grande na transformação da floresta, produção de oxigênio, na nossa vida como um todo é fundamental. Também temos que ter centros de triagem e soltura para receber a fauna que é apreendida especialmente em operações contra o tráfico. Quem organiza e participa do tráfico de animais são exatamente as mesmas organizações que traficam o craque. São os mesmos, pois os animais são moedas de troca. É uma movimentação bilionária, que está relacionada com toda bandidagem, todo tráfico de drogas neste país. Quando apreendemos não podemos jogar no chão, no rio, temos que tratá-los e soltá-los novamente na natureza. Mato grosso não tem nenhum local”.

A criação dos Cetas é fruto de uma ação movida pelo Ministério Público contra o Governo do Estado há mais ou menos 3 a 4 anos: “Em segunda instancia foi confirmada sentença e transitado em julgado obrigando o Estado a construir CETAS para poder receber os animais nessa e em outras situações, por exemplo, de atropelamento que é o segundo caso de morte de animais especialmente na rodovia que passa por Sinop, Sorriso, Lucas e Nova Mutum. Porque é feita uma estrutura sem planejamento, sem atenção, sem passagens, que são necessárias. A concessionária da rodovia, que deixa a rodovia inclusive em descaso, como a gente vê em Sorriso terá que responder também por esses centros”.

Sobre se haverá fiscalização para garantir esse trabalho, o promotor afirmou que primeiramente estamos fazendo o congraçamento de entidades e os recursos e pessoal para instalação do centro, daí para frente, vamos vendo as sociedades das entidades para manutenção do centro, que será muito importante. Todos os animais pegos no estado virão para cá, quando não forem para o batalhão de Cuiabá. Os animais serão tratados e soltos novamente.

O vice-governador Carlos Favaro também falou sobre a participação do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA. “Nós temos um estado rico na nossa fauna, e temos obrigações a fazer, esse Centro de Triagem e Reabilitação sem nenhuma edificação, sem nenhuma estrutura, essa obrigação que foi delegada ao Estado de Mato Grosso, desde 2013. Temos hoje uma oportunidade graças à conscientização de um povo que sabe da relevância da sustentabilidade, por isso estamos em Sorriso, para termos oportunidades de juntos realizarmos este centro. Mato Grosso por mais de 200 anos não construiu nenhum centro de habilitação ou triagem de animais silvestres, por isso a importância com o MP, com o IFMT e com o poder público municipal e outros entes públicos. ”

O município de Sorriso deverá ajudar na construção do CETAS, o IFMT ajudará na gestão e o Ministério Público contribuirá com TACs para manutenção. Ao todo serão 4 CETAS e um CRAS (Sorriso, Lucas do Rio Verde, Barra do Garças, Rondonópolis e Várzea Grande).