29/03/2017 15:30

Quantidade de visualizações: 322

assessoria Mapa

A União Europeia, que acolheu a sugestão do Brasil de suspender apenas a entrada de carne de frigoríficos que estão sendo auditados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), quer mais detalhes sobre a Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Os esclarecimentos devem ser prestados, detalhadamente, segundo o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento), na quinta-feira (30), quando técnicos do Mapa e do bloco europeu se reunirão, em Brasília.

O encontro foi marcado pelo ministro e pelo comissário para Saúde e Segurança Alimentar da União Europeia, Vytenis Andriukaitis, que está no país para participar do Seminário sobre Resistência Antimicrobiana. O comissário esteve com o ministro na manhã de hoje e ambos entenderam que será importante prestar informações adicionais sobre as investigações nos frigoríficos. “Os problemas com a narrativa da operação alcançaram também os consumidores no exterior, da mesma forma que aconteceu aqui. Eles pensam que há papelão e produtos cancerígenos na carne”, relatou Maggi.

“Mostramos tudo o que está acontecendo com documentos, mas vamos dar mais detalhes, a exemplo do que já fizemos com outros países”, acrescentou o ministro, lembrando a importância das importações dos 27 países da União Europeia para os produtores brasileiros, ao lado da China e de Hong Kong.

Andriukatis sugeriu ao ministro, inclusive, uma auditoria externa, além da que vem sendo realizada pelo ministério nos estabelecimentos colocados sob suspeita. “Não há problemas, aceitamos sugestões. Eles são grandes clientes”, disse Maggi. O trabalho externo para recuperar a imagem do país começa na próxima semana, quando o ministro irá à Argentina. O motivo da ida não é esse, mas vou aproveitar para falar com colegas do Mercosul, com o Chile, observou Maggi.