24/03/2017 11:55

Quantidade de visualizações: 274

Fernando Luiz com assessoria

O deputado estadual Mauro Savi (PSB) assumiu a Comissão da Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e de Regularização Fundiária da Assembleia Legislativa. O parlamentar criticou a condução da operação ‘Carne Fraca’, da Polícia Federal.

Conforme Mauro Savi, a investigação da PF que durou cerca de 2 anos, obteve dois laudos para tentar atingir dois grandes frigoríficos, deixou a impressão que toda carne brasileira é podre.

“Nos causa muita estranheza esta ação, porque prejudicou o país inteiro. Agora teremos que provar ao mundo que nossa carne é boa e a melhor. A nossa produção está fora da investigação, mas, a nossa carne está dentro da exportação. Quero dizer que o reflexo da operação já chegou ao Estado. O preço da arroba caiu e temos 20 navios em trânsito na China sem saber o que fazer”, disse o parlamentar.

Savi destaca que a exportação da carne brasileira representa 20% do Produto Interno Bruto (PIB) e lembrou que o Brasil é o maior exportador da proteína do mundo, sendo 33% somente de Mato Grosso.

"Isso irá repercutir no desemprego, na desaceleração do PIB. Quando o empresário fala em férias coletivas é demissão em massa. Isso irá ocorrer gradativamente em todo país. Se não matar bois, haverá milhares de desempregados. Temos que reverter logo está situação”, lamentou Savi.

Regularização fundiária

Quanto à regularização fundiária em Mato Grosso, o parlamentar disse que é preciso “destravar” o Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) que deixou de arrecadar nos últimos 2 anos, cerca de R$180 milhões. Ainda, sobre o impasse quanto à legitimação de posse (urbana e rural) e da regularização de ocupação.

Membros titulares

Presidente Mauro Savi (PSB); vice-presidente Dilmar Dal’Bosco (DEM) e membros Romoaldo Júnior (PMDB); Nininho (PSD) e Valdir Barranco (PT). Suplentes: Oscar Bezerra (PSB); Silvano Amaral (PMDB); Pedro Satélite (PSD); Adalto de Freitas (SD) e Zeca Viana (PT).