01/03/2016 15:40

Quantidade de visualizações: 978

Roberto Santos

A sede da Associação Regional de Pesquisa Científica e Ambiental que fica no Horto Florestal está abandonada e no meio do mato. O local fica na avenida Marginal Esquerda. Representantes da associação estiveram na Rádio Sorriso para explicar sobre esse problema e também sobre os trabalhos que estão sendo realizados pela instituição.

A explicação para o abandono do local segundo os representantes é um termo de ajustamento de conduta proposto pelo Ministério Público em 2009. Esse termo fez com que a instituição não ficasse mais no local. Segundo Marli Aguiar, toda a sede não foi retirada por se tratar de um bem municipal que estava cedido e não doado.

A placa da ARPCA estava no local até segunda-feira (22/02) quando a Rádio Sorriso iniciou a reportagem. A placa foi retirada ainda na mesma semana ao tomarem conhecimento da nossa reportagem.

Apesar de terem deixado o local, na Receita Federal a instituição continua ativa no mesmo endereço e recebeu recurso do poder público municipal. No dia 22 de setembro de 2015; a Câmara Municipal aprovou um repasse de 25 mil reais para que a associação realizasse um trabalho de coleta seletiva. Trabalho que já foi pago pela prefeitura municipal.

O serviço ainda não foi realizado completamente. Nesse trabalho teriam um bairro piloto para a implantação de coleta seletiva. Marli disse que o prazo foi muito curto e pediram um aditivo de prazo. O serviço deveria ficar pronto em dezembro de 2015 e a prestação de contas acontecer até 30 de janeiro de 2016. Com o aditivo de prazo, deve ser realizado até 30 de abril e a prestação de contas até dia 30 maio.

Marli ressalta que a associação não recebe recursos regularmente do poder público. Realiza trabalhos pontuais firmando parcerias de acordo com as demandas que vão surgindo, uma delas são o apoio ao trabalho com as licenças ambientais.

De acordo com Elói Brandão, outro integrante da associação, a instituição está funcionando em seu escritório particular na avenida Curitiba. Na receita federal ainda consta ativa no horto florestal. Segundo Marli Aguiar não foi possível fazer a troca de endereço por que ainda não existe um local formalizado onde a associação vá se instalar. A presidente da ARPCA Jeane Freitag disse que a instituição continua trabalhando ao lado dos associados que tem suas atividades fora da associação.

De acordo com o secretário de agricultura e meio ambiente Afranio Migliari, a ação do MP acabou dificultando o trabalho da ARPCA. Ressaltou a problemática do Código Florestal que trouxe diversas mudanças que fizeram que o MP pedisse a saída inclusive da escola que estava no local. Destacou ainda a importância da associação bem como de outras no município que atuam como terceiro setor apoiando as ações do poder público.

​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal​Sorriso: Representantes explicam abandono da ARPCA no Horto Florestal