Sorriso FM 99,1

10/08/2013 12:41
Lida 4979 vezes.

Tâmara Figueiredo/ Wikipédia

Na noite desta sexta-feira, o Centro de Eventos Sorriso esteve lotado de fãs para prestigiarem o show com a cantora, ícone do sertanejo Paula Fernandes. Pela primeira vez em Sorriso, a musa do sertanejo agradou o público, sendo simpática, conversou, interagiu, pediu que os fãs subissem ao palco e ela também desceu do palco e andou cumprimentando o público.


Paula Fernandes cantou seus grandes sucessos, como Pássaro de Fogo, Sem Você, Meu Eu em Você, e a música de trabalho, Um Ser Amor, tema da novela Amor à Vida, com vários efeitos luminosos e acessórios no palco. Chamou a atenção o figurino bastante peculiar, pelas transparências, decotes e tomara que caia. Antes do show no qual ela concedeu entrevista á imprensa e recebeu fãs para fotos e autógrafos.


Vida antes da fama:


Paula Fernandes nasceu em 28 de agosto de 1984 em Sete Lagoas, Minas Gerais. Começou a cantar cedo, com apenas oito anos de idade e lançou seu primeiro álbum independente aos dez4. Aos doze anos, mudou-se para São Paulo e foi contratada por uma companhia de rodeios,.5 Nesta época, se apresentou em festas e casas de espetáculos de sua cidade e arredores e participou de programas de televisão e rádio para divulgar o trabalho. Dificuldades na carreira fizeram com que, aos 18 anos, quase desistisse da carreira artística e voltasse para Minas Gerais. Cursou Geografia em Belo Horizonte e, paralelamente, tocava e cantava em barzinhos.


A cantora quase desistiu da carreira


Ela nos contou o que a fez voltar aos palcos. “Eu fiz uma apresentação numa tv regional em Minas Gerais, eu ja estava meio que desencantada assim, porque acreditava que a coisa não acontecia. Eu ja cantava nos bares na época e com isso pagava minha faculdade de Geografia. Meu retorno foi graças ao carinho de família, de ex-namorado, todos diziam que eu cantava bem e que eu deveria voltar, até que fui nesse programa de Tv e o Marcos Vianna me viu lá, ele é instrumentista e produtor de trilhas sonoras de novelas. Daí a coisa começou a mudar na minha vida, em 2004”.


Beleza e influência


Sobre o fato de ser considerada uma das pessoas mais influentes da América Latina e a 16ª mulher mais sexy do mundo, ela diz que beleza é algo muito relativo.Beleza é relativa, eu acho que o que vai prevalecer é o meu trabalho, fico muito feliz com todos esses elogios que eu recebo, é muito melhor ser e se sentir uma mulher bonita”.


Filantropia


Durante a passagens de sua turnê mundial pelo continente africano Paula Fernandes destinou parte dos arrecadamentos das apresentações à ações sociais em Angola e Cabo Verde. No Brasil, a cantora ajuda a manter uma ONG localizada em sua cidade natal, que usa a terapia com cavalos para auxiliar o avanço no quadro de pessoas com deficiências. Ela falou sobre este lado filantrópico. “Quando se trata de formação de opinião, acho que é uma grande responsabilidade. As pessoas realmente ouvem, tenho um público infantil e adolescente muito grande, o que me faz mais responsável ainda. Então tomo cuidado, sempre procuro passar coisas boas”.


Fama de existente


Sobre sua fama de ser bastante exigente, ela deixou claro que prima pela qualidade de seu show em respeito ao seu público. “Eu sempre fui exigente em todos os sentidos em minha vida. Quando fui aluna, queria ser a melhor aluna, quando joguei basquete, queria ser a melhor, mesmo deste tamanho. Então com relação ao camarim sou pouco exigente, não tem quase nada, mas quando subir no palco, o meu público merece o melhor, quando se trata do show, quero a melhor iluminação, o melhor som. Quero estar bem para o público, este é o meu trabalho, esta é minha missão, quero sempre o melhor, nao nasci para fazer nada de menos não, sempre pra frente. Meu show é resultado das músicas que eu faço, é a continuidade do momento da composição, é a canção em forma física”.

Veja também


Enquete
Você é contra ou a favor da redução da verba indenizatória para deputados e servidores de alto escalão do Poder Legislativo de MT, proposta pelo deputado estadual Ulysses Moraes (DC).
  • Parcial